(17) 2136-4000

 

(17) 99184-9251 - Vendas

Grupo Faria

Dúvidas Frequentes

Tire suas dúvidas aqui

 

União de pessoas físicas ou jurídicas, em grupo fechado, para formar poupança comum destinada à aquisição de bens móveis e imóveis, por meio do autofinanciamento. Os consorciados, também conhecidos por cotistas, contribuem com valores destinados à formação de poupança comum. Todos os participantes têm assegurado o direito de utilizar essa poupança para a aquisição de bem ou serviço, de acordo com as regras previstas no contrato do grupo. Podemos então dizer que Consórcio é a arte de poupar em grupo.
É a união de participantes do mesmo segmento. O grupo receberá um número (cota) de identificação e terá um limite máximo de participantes. Esta informação deverá ser adquirida pelo consorciado no momento de sua adesão ao grupo.
Não. A administradora cobra uma pequena taxa de administração que serve para cobrir as despesas da operação. Esta taxa é muito inferior se comparada aos juros cobrados pelos bancos e financeiras.
É a identificação de cada consorciado. É o número que o identifica no grupo para concorrer ao sorteio ou lance na assembleia.

A contemplação é a atribuição ao consorciado do crédito para a aquisição de bem ou serviço. Ela está condicionada à existência de recursos suficientes no Fundo Comum.

 

São duas as modalidades de contemplação:

 

• Sorteio: reflete a própria essência do Consórcio, uma vez que todo consorciado, em dia com o pagamento de suas contribuições concorrem em absoluta igualdade de condições. O sorteio poderá ter como critério o resultado da extração da loteria federal ou do globo giratório, a ser indicado no contrato.

• Lance: após a realização do sorteio, será admitida a contemplação mediante o oferecimento de lance pelos consorciados. Verifique no contrato que você assinou as condições para participar do sistema de lance.

 

É admitida a contemplação por meio de lance embutido, que nada mais é do que a oferta de recursos mediante utilização de parte do valor do crédito previsto para distribuição na respectiva assembleia.

 

No caso de Consórcio de imóvel residencial, o consorciado poderá utilizar o saldo da sua conta vinculada ao FGTS para ofertar lance embutido, conforme as atuais regras constantes do manual da Caixa Econômica Federal, órgão gestor do FGTS.

A assembleia é realizada com a participação dos consorciados presentes para que os mesmos façam a fiscalização do sorteio e abertura dos lances. O sistema de sorteio são feitas por meio de sistema de bingo, dentro de um globo serão colocadas todas bolas numeradas de 01 até o limites de cotas que o grupo pode ter. Se a pedra sorteada não estiver em dia ou já estiver contemplada, automaticamente será considerada a pedra sucessiva e assim até que seja localizada uma cota apta à contemplação. A contemplação por sorteio somente ocorrerá se houver recurso suficiente no fundo comum, para a atribuição de no mínimo um crédito. Após a realização de sorteio, ou não tendo ocorrido por insuficiência de recursos, serão admitidas ofertas de lances para viabilizar a contemplação.
O Banco Central, de acordo com a Lei nº 11.795/2008, que é a autoridade competente para normatizar e fiscalizar o Sistema de Consórcios no Brasil.